domingo, 21 de novembro de 2010

"Só quem é negro sabe o que sofre"

O jornal "Correio Brasiliense", em homenagem ao centenário da morte de Joaquim Nabuco, iniciou hoje uma séria de reportagens chamada "Negra Brasília", contando as histórias de "quem experimenta o preconceito, as dúvidas, as angústias, os medos, a raiva, as conquistas, a dor e a delícia de ter a identidade negra". As personagens de hoje são as gêmeas Karen (foto) e Karina, promissoras modelos.

Especialmente para os que alegam que não há racismo no Brasil e/ou menosprezam os seus efeitos na população negromestiça, reproduzirei aqui o depoimento de Karen (que tem apenas 15 anos!) para o jornal:

"Minha mãe é professora, ela mora em Brasília há mais de 20 anos. Não sei muito do meu pai, ele é um pai ausente, mas para a gente isso é uma coisa insignificante. Na minha infância, estudei na Tia Elza, uma escola particular aqui perto. Depois, estudei em duas escolas públicas no Guará. Continuamos em escolas públicas até hoje. A gente era muito odiada pelas meninas porque era muito metida, a gente se achava demais. Sempre me achei bonita, mas nunca aceitei a minha cor. Eu sempre falava "Ah, eu deveria ser branca". Porque na escola a gente era chamada de Chica da Silva, de um monte de apelidos.

Antes de ser modelo, só usávamos calça jeans até o pé, porque a gente morria de vergonha de nossas perninhas fininhas. Depois que a gente virou modelo, quase não usa mais calça, usa muito short, vestido. Eu me achava bonita, mas não gostava da cor da minha pele, do cabelo e da altura, me achava muito alta. Na escola, a gente era as mais altas. Hoje me acho a mulher mais bonita do mundo. Depois, se a gente não se achar, quem é que vai acha? Na escola, quando alguém chamava a gente de Chica da Silva, macaca, Pepê e Neném (dupla de cantoras gêmeas cariocas), a gente reagia, gritava, ia à diretoria. A gente não deixava barato, não levava desaforo pra casa, Revidava de todo jeito, só que era pior.

Minha mãe botou na minha cabeça que era pra eu ser médica, E falou o que cada filha tinha que ser. E a gente ficou com isso na cabeça, só que depois de uma certa idade, a gente fica ciente do que quer. E quero fazer direito, porque sei que a carreira de modelo não é para sempre. As cotas são necessárias, porque vamos ser bem sinceros... se não tiver... os produtores vivem nos falando: "Pra uma negra pegar um trabalho, ela precisa ser muito boa. Tem que estar perfeita, muito melhor que uma branca". Meus amigos todos falam que as cotas para a universidade são desnecessárias, porque é uma forma de racismo. Pode até ser pra eles, mas só quem é negro sabe o que sofre..."

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Essa turma a natureza marca

Recebi este e-mail de um tenente-coronel que trabalha comigo em um dos hospitais onde mourejo.

O e-mail já é uma piada em si, mas o mais engraçado é esse milico, que serviu com prazer à ditadura militar, dizer que vai "agir de forma democrática".

Veja o naipe:



Vamos todos procurar...não queremos ser injustos, né ?

POR FAVOR SE VC. TIVER OU SOUBER QUEM TENHA .....

ME MANDE O MATERIAL ABAIXO :

Tenho recebido e-mails de cunho político e a grande maioria é contra a Dilma .
Assim, para agir de forma democrática, justa e contribuir com o debate devemos conhecer
o que Dilma já deu e contribuiu para o Brasil.

Assim se você souber ou conhecer alguém que saiba......por favor me informe :

- Fotos dela lutando pela democracia

(Tem que existir! Por exemplo: uma foto da Dilma nas Diretas Já!);

- Uma só foto da Dilma em uma passeata pela Anistia Ampla,Geral e Irrestrita!;

( será que não tem ! )

- Uma foto da Dilma em algum evento pela Constituinte Livre e Soberana!;

- Uma foto da Dilma no Impeachment do Collor.

- Uma foto ou vídeo, que mostre ela indignada com o Mensalão ou com a história do dinheiro nas cuecas, nas malas, nas meias, etc.;

- Uma foto ou vídeo de algum trabalho social de que ela já
tenha participado:

( Será que Ela nunca participou de nada ! );

- Uma foto ou vídeo em que ela se mostre autentica e naturalmente simpática !

(deve haver!!!);

- Uma foto dela com o Marido / Ex Marido ou Pai da Filha

(Tem que existir ! )

Afinal de contas se ela for eleita queremos saber quem será o "Primeiro Damo" do Brasil até para saber..."COM QUEM ESTAMOS FALANDO ";

Não podemos ter uma presidenta sobre a qual não sabemos absolutamente
nada, a não ser pela boca do Presidente(QUE SÓ FALA MERDA) .

Chega de boatos, de disse-me-disse".

Queremos fotos! Notícias de jornal! Documentos históricos!

Tenho procurado tudo isto e até agora só encontrei o que o Presidente e os "Companheiros" falam !

Por Favor........Repassem e ajudem a acabar com o Apagão Biográfico da Dilma.






REPASSEM PARA QUANTAS PESSOAS CONSEGUIREM.
ASSIM IRÁ PARA TODO O PAIS E EXTERIOR


E SE POSSIVEL ME AJUDEM !

domingo, 22 de agosto de 2010

Enganos e auto-enganos


José Serra, a pouco mais de 40 dias das eleições, está pelo menos 17 pontos atrás de Dilma Rousseff. Ninguém , nem o mais otimista dos lulistas-petistas-comunistas, poderia imaginar esse quadro há 6 meses. Lembram de como Serra tentou se passar por “Serrinha paz e amor”, imaginando que bastaria ele não cometer erros para a presidência cair em seu colo? Lembram de quando o “Zé” e seus companheiros achavam que a eleição seria barbada pois ele concorreria contra um “poste”? E aquele tempo em que diziam que bastariam os primeiros debates para que Serra destruisse Dilma, como Covas fez com Afif naquele memorável debate em 89 ? Diziam também que Dilma chegaria ao período da propaganda eleitoral obrigatória com intenções de voto ao redor de 20%, pois esse seria o máximo de votos que Lula transferiria para a “guerrilheira”, vocês se recordam?


Os tucanos e seus eleitores diziam isso, e as suas vozes na mídia repercutiam (ou seria o contrário?) Para eles, a eleição seria entre uma paradoxal “autoritária pau-mandado” contra o experiente, preparado, racional José Serra. O povo, a despeito da popularidade de Lula, perceberia isso e seguiria a "massa cheirosa".


Eles não perceberam que estavam fazendo um exercício de auto-engano. Nem Dilma era um poste, nem Serra, um gênio, nem 20% era o teto da transferência de votos de que Lula era capaz. Mas era justamente isso que nos indicavam os colunistas de jornais, os comentaristas da GloboNews e os números DataFolha. Olhando em retrospecto é fácil identificar os erros, mas poucos os perceberam no momento em que eram cometidos. Até o “nosso” Kotscho caiu no conto da precisão cirúrgica da campanha de Serra e do desajuste da de Dilma, lembram?


Mas se no início muita gente se enganou, agora é nítido até para o mais desatento dos brasileiros que a campanha de Serra está naufragando e que os ratos já começam a abandonar o navio. O tucano ainda se debate, tenta se segurar em Lula (afinal são “dois homens com experiência”) ao mesmo tempo em que critica Dilma, mas o presidente diz que tudo o que ele fez foi a “quatro mãos” e que ela é a grande responsável pelo sucesso do seu governo. Essa estratégia tucana, não é preciso ser um gênio para perceber, é furada, está fadada ao fracasso.


José Serra está correndo um sério risco de sair desta eleição menor do que entrou. Perderá a hegemonia nacional no partido - Aécio, ao que tudo indica, será a grande referência da oposição que estará à direita do governo. E perderá também influência no PSDB paulista, que, provavelmente, terá em Geraldo Alckmin o seu maior líder. Veja que curioso: como Serra provavelmente será derrotado em 03 de outubro, resta a ele torcer para que Alckmin também perca em São Paulo; só assim “Zé” seguirá sendo convidado para os jantares da cúpula tucana no Fasano.

Anastasia decide mostrar Serra no programa eleitoral

(via Conversa Afiada)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Homens bons desmascaram "servo lulo-petista"

Vocês sabem, hoje é feriado em São Paulo em comemoração à "Revolução Constitucionalista". Não sei bem o que eles comemoram, já que esse movimento, que é reacionário, não revolucionário, pois servia aos interesses de uma oligarquia cafeeira retrógrada que havia sido apeada do poder por Getúlio Vargas, foi derrotado.

Sobre este feriado de 9 de julho, o Sakamoto escreveu um excelente post que eu assinaria embaixo. Mas não é exatamente sobre ele que eu quero falar aqui, é sobre os comentários que ele suscitou.

Tem gente que diz: "ah, fulano não tem apreço pela democracia, não ouve o outro lado, não tenta argumentar, debater..." Mas veja se tem alguma condição de debater com cabecinhas capazes de comentários como estes que reproduzirei a seguir:


Marcelo disse:
09/07/2010 às 8:40
Japa fedido, e seus parentes que matam milhares de baleias e golfinhos. Povo nojento. Viva Hiroshima e Nagazaki. Deveriam ter sido muitas outras
.


Este comentário reproduzido logo abaixo é o meu favorito. Representa bem o pensamento reacionário típico da pequeno-burguesia brasileira, que morre de medo de perder os seus privilégios. Quem nunca ouviu um discurso assim de um colega, um parente ou um amigo ?


myrna disse:
09/07/2010 às 8:43
Sabe, o que revolta em São Paulo ou devia revoltar a classe média brasileira ( B e C). É que você trabalha, estuda, não tem tempo para fazer passeatas com sindicalistas pelegos petistas, para ficar sambando o ano todo como certas regiões (sem preconceito mas está errado este comportamento), você entra na USP sem cotas, por capacidade, passa num concurso público sem INDICAÇÕES políticas e o filho do nosso presidente ganha em menos de 2 anos de governo LULA o que nossos filhos que estudaram no Colégio Bandeirantes e outros do mesmo gabarito nunca vão ganhar durante os 40 anos de trabalho.Será porque a gente lê os jornais e toma conhecimento de todos ss escândalos e r o u b alheira dos coronéis do Maranhão, Amapá, Alagoas, São Paulo do tempo ademarista, malufista e Pitta, do Pará de Jader Barbalho e outros que recebemos a pecha de arrogantes.

E não sabem por que recebem "a pecha de arrogantes"...

Eliane disse:
09/07/2010 às 8:36
“Alguma coisa acontece no meu coração…quando piso na Avenida Paulista”.
São Paulo é SÃO PAULO!!! não se trata de populismo, é HISTÓRIA.
E estamos conversados!
E Viva o 9 de Julho!!!


Felizmente, apareceu um atento comentarista para colocar o dedo na ferida. Claro, o Sakamoto não passa de um "um servo lulo petista regado a alergia a verdade". Agora tá explicado!

Guife disse:
09/07/2010 às 8:56
Lamentável a sua visão e falta de
respeito pelo passado, o qual
garantiu muitos benefícios do
presente. Seu texto e digno de
um servo lulo petista regado a
alergia a verdade e a vontade de
reescrever a história de acordo
as vontades presentes.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Olhar encantado de criança


“Isso tudo que eu estou dizendo para você aconteceu até os 7 anos de idade, tudo antes de pegar o pau-de-arara para vir para São Paulo.

É engraçado, quando se é pequeno, se vê uma coisa e se tem uma dimensão de grandeza diferente da que se tem quando se é adulto. Então, por exemplo, eu lembro das ruas, das casas... Depois que eu voltei lá, depois de 30 anos, eu fiquei decepcionado. Eu imaginava uma baita rua na frente de onde que a gente morava, eu imaginava uma baita árvore, tinha um pé de mulungu, que é uma árvore que dá uma sementinha vermelha. Eu tinha noção de uma árvore enorme, e quando eu voltei lá depois de 30 anos a árvore que eu vi não é grande, é uma árvore pequena. E era a mesma árvore da infância...

Tinha um lugar lá chamado "a bodega do Tozinho", que era um armazém. Eu tinha a impressão de que era uma coisa quase do tamanho do Carrefour, depois que eu voltei lá eu vi que era do tamanho de uma casinha popular aqui, ou de um barraco pequenininho. Eu tenho lembrança dessa bodega do Tozinho porque em 1950, eu tinha 5 anos de idade, mas meus irmãos mais velhos já escutaram pela primeira vez a Copa do Mundo pelo rádio. O único que tinha rádio lá era ele [o Tozinho]. Então o pessoal ia lá pra ouvir o rádio, ouvir programas musicais e coisas desse tipo."

Trecho de um dos depoimentos de Lula a Denise Paraná para o livro Lula, o filho do Brasil.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

O nó de Minas

Esse é o título do meu novo post no Amálgama. Leia lá e comente!

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Uma bandeira para a esquerda

Hoje o IPEA lançou um documento, intitulado “Pobreza, desigualdade e políticas públicas”, que conclui que: “Na década atual, a combinação entre a continuidade da estabilidade monetária, a maior expansão econômica e o reforço das políticas públicas, como a elevação real do salário mínimo, a ampliação do crédito popular, reformulação e alargamento dos programas de transferências de renda aos estratos de menor rendimento, entre outras, se mostrou decisiva para a generalizada melhora social no Brasil”. Note, todas essas causas de diminuição das desigualdades sociais foram ou instituídas ou aprofundas pelo governo Lula. Isso derruba a tese de que o governo do petista é uma mera continuação do governo FHC.

Este trecho do documento comprova que há um nítido corte entre o governo FHC e o governo Lula: “Entre 1995 e 2008, por exemplo, a queda média anual na taxa nacional de pobreza absoluta (até meio salário mínimo per capita) foi de -0,9%, enquanto na taxa nacional de pobreza extrema (até ¼ de salário mínimo per capita) foi de -0,8% a.a. Para o período mais recente (2003/08), a queda média anual na taxa nacional de pobreza absoluta (até meio salário mínimo per capita) foi de –3,1%, enquanto na taxa nacional de pobreza extrema (até ¼ de salário mínimo per capita) foi de -2,1% a.a.”

O documento então arremata: “Se projetados os melhores desempenhos brasileiros alcançados recentemente em termos de diminuição da pobreza e da desigualdade (período 2003-2008) para o ano de 2016, o resultado seria um quadro social muito positivo. O Brasil pode praticamente superar o problema de pobreza extrema, assim como alcançar uma taxa nacional de pobreza absoluta de apenas 4%, o que significa quase sua erradicação. Já o índice de Gini poderá ser de 0,488, um pouco abaixo do verificado em 1960 (0,499), ano da primeira pesquisa sobre desigualdade de renda no Brasil pelo IBGE.

“Ou seja, mantendo o mesmo ritmo de diminuição da pobreza e da desigualdade de renda observado nos último cinco anos, o Brasil poderia alcançar o ano de 2016 com indicadores sociais próximos aos dos países desenvolvidos. Enquanto a pobreza extrema poderia ser praticamente superada, a desigualdade da renda do trabalho tenderia a estar abaixo de 0,5 do índice de Gini”.






Pô, isso é uma coisa fantástica, que ninguém poderia esperar há 10 anos! É preciso ser um oligofrênico, um mal-intencionado ou um cego pela paixão política para não reconhecer esses avanços. Num país que sempre se caracterizou pelo “descompasso entre os indicadores econômicos e sociais”, Lula conseguiu aliar crescimento econômico ( especialmente no segundo mandato, graças aos programas sociais, ao aumento real do salário mínimo e aos investimentos do PAC) e diminuição acelerada da pobreza e da desigualdade de renda.

O documento, no entanto, indica algumas condições para que a diminuição da desigualdade social continue nesse ritmo. Uma especialmente me chamou a atenção: é necessário que o padrão tributário brasileiro passe de perversamente regressivo para progressivo. Veja o gráfico:




Isso derruba aquele velho argumento de que as classes média e alta são sacrificadas no Brasil. Elas, tadinhas, carregam o país nas costas. São sobretaxadas para que o governo federal dê o “bolsa-esmola” para os vagabundos que não querem trabalhar. Nada disso. O que fica claro é que quem mais se sacrifica para pagar impostos são justamente os que ganham menos. As famílias que tem rendimento de até 2 salários mínimos gastam quase 50% do que ganham com impostos!

A inversão desse padrão tributário perverso é uma bandeira que a esquerda deveria empunhar com entusiasmo.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

O blog em 2010

Pronto, 2010 está aí. Ano de Copa do Mundo, a primeira disputada na África, e de eleições. Assunto e emoção não faltaram. Espero que meu coração aguente.

Como muitos de vocês devem saber, eu estava cogitando iniciar um novo blog. Desisti. Fiquei com preguiça. Vou continuar por aqui. A única mudança que fiz foi o nome do blog: troquei o muito criativo Blog do Bruno por Miúdo Recruzado (peço para que os amigos que lincam este blog troquem o nome dele em seus respectivos blogrolls).

Não sei se já poderia adiantar isso, mas farei assim mesmo. O Amálgama está preparando uma cobertura para as eleições deste ano que promete ser uma das melhores da internet, e é com muita honra que farei parte desse time. Portanto, a minha cobertura das eleições será dividida em duas: os textos mais analíticos serão publicados no Amálgama e os mais pessoais, aqui. Obviamente, sempre que publicar algum post lá, ele será lincado cá.

No mais, um ótimo 2010 para todos, e vamos nessa!