terça-feira, 25 de agosto de 2009

O especialista

Você já leu este amontoado de asneiras e ilações pseudocientíficas? Não? Então eu faço um resuminho para você aqui.

A revista Época tem um blog chamado "Mulher 7X7", que, obviamente, é escrito por sete mulheres. Ontem, a diretora da revista no Rio, Ruth Aquino, achou que tinha material para um post bacanérrimo. Na pesquisa do Datafolha, Dilma permaneceu onde estava, é óbvio que é por conta da imagem dela, deve ter pensado a jornalista. Ela era carrancuda e agora vive sorrindo... Ah, isso é muita falsidade. Vou comprovar isso chamando um especialista em psicanálise que tope endossar a minha tese. Deixa eu ver aqui na minha agenda...peraí.. Achei, tá aqui, o Francisco Daudt. Pronto, agora é só escrever o post e correr para o abraço.

Bom, aí ela escreveu aquele post cheio de bobagens e análises primárias que nem um primeiro anista de faculdade de jornalismo toparia assinar. Não vou me estender analisando o post, pois a Flávia e o Maurício Caleiro já o fizeram muito bem. Meu objetivo aqui é lembrá-los de uma coisa: quem é o psicanalista Francisco Daudt, o tal especialista chamado por Ruth Aquino para avalizar sua tese estapafúrdia.

"Gostaria imensamente de ter minha dor amenizada por uma manchete que estampasse, em letras garrafais, "GOVERNO ASSASSINA MAIS DE 200 PESSOAS". O assassino não é só aquele que enfia a faca, mas o que, sabendo que o crime vai ocorrer, nada faz para impedi-lo. O que ocorreu não pode ser chamado de acidente, vamos dar o nome certo: crime." Essas palavras foram estampadas na primeira página da Folha de S.Paulo "com a fumaça ainda enevoando a tragédia", nas palavras do então ombudsman do jornal Mário Magalhães. Demonstrando furor midiático e precipitação infantil, quem assinou essas palavras foi o mesmíssimo Francisco Daudt que deu as seguintes declarações a Ruth Aquino, no post 'bacanérrimo' do blog da revista Época:

Ruth Aquino - O que revela o rosto de Dilma?

Francisco Daudt – Antes dos 40, temos a cara que Deus nos deu. Depois dos 40, temos a cara que nós merecemos: nosso caráter marca nossa expressão facial. Dilma fez a mesma coisa que Zé Dirceu. Ela se disfarçou. Dirceu fez plástica quando caiu na clandestinidade, para se esconder. Dilma fez plástica porque a cara que ela tinha antes da plástica era assustadora, era a cara de uma pessoa agressiva, autoritária, impositiva, de dar medo. Hoje em dia você olha fotos dela e é capaz de achar até agradável, mas esta não é a Dilma Rousseff.

Ruth Aquino - E o dedo para o alto? Isso a plástica não resolve. O que representa esse dedo erguido, a mão crispada?

Francisco Daudt - Há vários tipos de dedo em riste. Há o dedo na cara do outro, que é insultuoso. O dedo levemente inclinado para trás pede a atenção para um determinado ponto de vista ou um momento em silêncio. O dedo cujas costas da mão estão viradas para o interlocutor, enquanto os outros estão fechados, é um gesto stalinista, reflete o desejo de impor uma opinião. Somente um treinamento intensivo pode substituir a pele verdadeira por uma pele de cordeiro. O dedo erguido é quase um lembrete: olhe, a anágua está aparecendo. Mas alguém já deve ter dito isso para ela, porque a Dilma anda mais econômica nos gestos ultimamente.

Pois é, esse é um dos especialistas mais frequentemente consultados pela nossa grande imprensa (não tanto quanto Marco Antônio Villa, Raul Velloso e Roberto Romano, é claro, mas pode ser considerado um habitué das páginas das revistas e dos jornais brasileiros). Ele está sempre disposto a endossar as mais bizarras das teses, desde que, lógico, isso lhe renda uma boa exposição. É uma troca, deve pensar ele, eu falo asneiras que agradam a mídia e, como recompensa, apareço nas primeiras páginas dos jornais. Vejam como eu sou esperto...


13 comentários:

Flávia Cera disse...

Bruno, bela lembrança! É preciso construir a memória do país para pararmos de consumir o que nos empurram a qualquer preço! bj
PS: Obrigada pela menção.

Bruno disse...

Flávia, que bom você por aqui :-)

Senti necessidade de deixar isso registrado. O cara não pode usar o título de especialista-em-o-que-quer-que-seja para sair por aí falando asneiras como se fossem verdades absolutas. É preciso que saibam que tem gente que está atenta, vigilante.

Beijo

Mack disse...

O dedo que faz na 6 imagem serve tanto para a "jornalista" quanto para o especialista. Acharam pequeno?

César S. disse...

Dr. Lombroso strikes back.

Bruno disse...

É, pessoal, essas afirmações do Daudt no post do blog da Época é das coisas mais bizarras que eu já vi."Depois dos 40, temos a cara que nós merecemos". Nada mais fácil de ser rebatido... Digno de Lombroso mesmo, como disse o César aí acima.

Abraço a todos

Sérgio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ricardo Cabral disse...

Aliás, o post da Flávia tb é ótimo.

Ricardo Cabral disse...

Ótimo post, Bruno, bela dobradinha com o César. Dá vergonha ver um psicanalista falando esse tipo de estupidez.

Bruno disse...

Muito obrigado, Ricardo.

Além do César, da Flávia e do Maurício, o Catatau também ecreveu um bom post sobre o assunto.

Um abraço

lola aronovich disse...

Bruno, ótimos posts por aqui. Vc já mandou este pro sexism watch da Cynthia?

Bruno disse...

Lola, quanta honra você por aqui!

A Flávia já escreveu sobre isso lá no "sexismo na política" a partir de um tweet meu :-)

Beijo

Flávio de Sousa disse...

"O dedo cujas costas da mão estão viradas para o interlocutor, enquanto os outros estão fechados, é um gesto stalinista, reflete o desejo de impor uma opinião."

Essa foi de matar. Então quer dizer que ele não é "só" psicanalista, é "psicanalista kissingeriano? Existe essa agora, o tipo psicológico "socialista/stalinista" e o saudável, "liberal/deus-mercado"?

Risos a parte, tou lendo um ótimo livro da Marilena Chaui, Simulacro e poder, da Ed. Fundação Perseu Abramo, que eu acho que você vai gostar. Quando tiver um break da urologia, pega pra ler!

Um abraço,

E parabéns pelo blog,

Flávio.

Bruno disse...

Grande Flávio!Cara, muito obrigado pela dica do livro. Anotada.

Além desta grosseria: "Dilma fez plástica porque a cara que ela tinha antes da plástica era assustadora, era a cara de uma pessoa agressiva, autoritária, impositiva, de dar medo", o cara ainda me solta essa aí do "gesto stalinista". É demais pra minha cabeça.

Um abraço