sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Nasce uma estrela

Essa foto do tenista escocês Andy Murray foi tirada há 2 meses, em Wimbledon, durante o confronto entre Grã-Bretanha e Áustria pela Copa Davis. O gênio que conseguiu essa bela imagem? Eu :-)

Esse jogo, que assisti, aconteceu poucas semanas depois de Andy Murray ter participado de sua primeira final de Grand Slam, no US Open, onde ele fez uma campanha excepcional, vencendo Rafael Nadal na semifinal. No entanto ficou um gosto amargo: fora derrotado por Roger Federer, de maneira humilhante, na final. E vocês sabem como são os tablóides ingleses...

Murray, apesar de já ter vencido vários títulos na temporada e de ter feito a final do Grand Slam americano, chegou a Londres sob uma pressão muito grande para enfrentar a Áustria. E ele mostrou que não tem medo de cara feia. Venceu todos os seus jogos convincentemente. Seus companheiros é que fizeram feio perdendo os outros 3 jogos. E o confronto ficou 3X2 para os visitantes.

Bom, esse longo preâmbulo foi para falar de um jogo fantástico que eu assisti hoje: Andy Murray X Roger Federer, pela última rodada da primeira fase da Masters Cup de Xangai. Esse é o último torneio do ano e reúne os 8 melhores tenistas da temporada (dessa vez o nono melhor substituiu o número 1, Rafael Nadal, que não está participando do torneio por estar lesionado).

O jogo começou muito equilibrado e assim ficou até o final do segundo set. Federer venceu o primeiro e Murray, o segundo. Antes do início do terceiro set, Federer, que já estava sentindo uma contusão há alguns games, pediu atendimento médico e começou o set decisivo irreconhecível. E Murray, que não é bobo nem nada, aproveitou-se disso muito bem e abriu logo 3 a 0. O suíço estava abatido e o jogo parecia se encaminhar para um final melancólico. E essa impressão ficou ainda mais forte quando Federer pediu novo atendimento médico. Mas o ex-número 1 do mundo não é de se entregar assim. Mesmo aparentando estar jogando no sacrifício, ele resolveu mostrar sua caixa de ferramentas. Começou a jogar como nos melhores momentos da sua carreira. Quando o adversário achava que vinha um lob, ele dava uma passada; quando esperava uma paulada, ele dava uma deixadinha... Murray, que achou que estava com o jogo na mão, ficou atordoado, e Federer virou para 4x3.

Aí, o escocês achou melhor também abrir a sua caixa de ferramentas, e novamente equilibrou o jogo. A partir daí, aproveitou-se de sua melhor condição física, teve cabeça para jogar bem os pontos decisivos e conseguiu sair com uma vitória que o classificou para uma das semifinais. Agora ele pega Davydenko ( número 5 do mundo). A outra semifinal é entre o showman Djokovic e Simon. Uma final entre Murray (nº 4) e Djokovic (nº 3) seria sensacional. Eles são os únicos tenistas do circuito atualmente capazes de fazer frente a Nadal (nº 1) e Federer (nº 2). Vou ficar de olho.

Murray tem talento, é jovem, tem um preparo físico impressionante e um volume de jogo enorme. Ele tem tudo para vencer algum Grand Slam no ano que vem. Se os 3 jogadores que estão à frente dele no ranking mundial não tomarem muito cuidado, o escocês pode se tornar o grande jogador de 2009. Anotem esse nome: Andy Murray.

Atualização: Foi só eu falar no cara e ele perdeu para o Davydenko! Murray esteve irreconhecível em quadra, provavelmente reflexo do cansaço da batalha de ontem contra Federer. Apesar desse fiasco, ele ainda é minha aposta para 2009.

2 comentários:

daniel disse...

tá, o cara é craque e tudo mais, mas ainda prefiro ELAS - http://www.verbeat.org/blogs/miltonribeiro/2008/01/porque-hoje-e-s-83.html

:-p

abraço!

Bruno disse...

É verdade, Daniel! O que não tem faltado nos últimos anos é tenista gata!