domingo, 1 de fevereiro de 2009

Quando 2 gênios se enfrentam


Mais um jogo para a história. Numa partida de 5 sets, Rafael Nadal venceu mais uma vez Roger Federer e sagrou-se campeão do aberto da Austrália, seu 6º grand slam. Ele é o único tenista da atualidade, na minha opinião, que tem condição de ganhar todos os 4 grand slams. Para ele falta apenas o US Open. Alguém duvida que ele pode vencê-lo?

Foi um jogo que qualquer um poderia ter vencido, mas Nadal mostrou que é mentalmente mais forte que o suiço, jogando melhor nos pontos decisivos. Além disso, correu como sempre, buscando todas as bolas, mesmo as que seriam consideradas perdidas para tenistas normais (Nadal, como eu já disse, não é um tenista normal), fazendo o suiço ter que suar a camisa para ganhar cada mísero ponto. Enfim, acabou vencendo quem teve mais vontade, mais gana, o que nunca falta ao espanhol. Federer, por sua vez, em alguns momentos jogou com demasiada displicência, meio blasé, e isso é imperdoável quando se enfrenta Rafael Nadal, número um do mundo, na final de um grand slam.

Mas foi um espetáculo de primeira categoria, quase no nível da final de Wimbledon do ano passado, jogo que é considerado por alguns como o de maior nível técnico da história. Aliás, quando esses dois se enfrentam o show é garantido.

Foi muito bonito ver, na hora do discurso após a partida, Federer se emocionar e não conseguir falar. Ficou aos prantos por alguns minutos. Então os organizadores chamaram Nadal para receber o troféu e ele, após receber o prêmio, deu um forte abraço no rival, que fez questão de ir primeiro ao microfone dizendo que Nadal foi o campeão e merecia ser o último a falar. O suiço falou pouco, com a voz embargada, demonstrando muita frustração, mas não deixou de saudar as qualidades e os méritos do seu adversário. Então, quando Nadal foi discursar mostrou muito respeito por seu maior rival e não deixou de enfatizar que acha Federer um dos maiores tenistas de todos os tempo. O espanhol não ficou sorrindo, fazendo festa, parecia constrangido em comemorar vendo que o adversário estava sofrendo ao seu lado. Nadal tirou o sorriso do caminho para Federer poder passar com a sua dor. Um momento maravilhoso, de antologia. Nadal, além de um fenômeno, é um gentleman.

Agradeço todos os dias por ser contemporâneo desses dois gênios e poder acompanhar espetáculos como o de hoje.

4 comentários:

Camila disse...

Bruno, infelizmente não vi o jogo (teria que ter acordado, sei lá, às quatro da manhã aqui), mas acabei de ver o choro do Federer no youtube e quase chorei junto com ele. Adoro os dois e sempre é bem angustiante escolher para quem torcer nessas finais - eu casava com qualquer um deles fácil. Compartilho desse seu sentimento de gratidão por ser contemporânea de gênios assim. Acho que jamais entenderei o Salieri.

Ah sim - legal te ver no FB. :) Beijos!

Bruno disse...

Camila, eu também nunca sei para quem torcer quando esses dois se enfrentam -- eu torço para que a partida vá para o quinto set, para ver os dois por mais tempo em quadra --, mas dessa vez eu estava inclinado a torcer por Federer, para que ele igualasse o recorde de títulos em grand slam de Sampras. Mas Nadal jogou com tanta garra, tanta vontade, tão focado --e Federer foi tão displicente em alguns momentos importantes do jogo--, que logo eu não sabia mais para quem torcer. E a atitude de Nadal após a partida de respeitar a dor do adversário fez ele subir ainda mais no meu conceito. Bom, só sei que foi mais um jogo antológico que esses caras nos proporcionaram.

Camila, gostei muito também de te encontrar lá no FB. Agora só falta eu aprendera mexer nele! Eu sou especialista em orkut e msn... :-)
Bj

Camila disse...

Putz, eu também, igualzinho - minha torcida costuma ser pelo quinto set, así que torço um set para cada um. Obviamente, o tenista para quem estou torcendo sempre perde, aí no próximo set inverto a torcida e ele ganha, etc. Mas confesso que, assim como você desta última vez, tenho uma ligeira tendência a torcer pelo Federer, para ele ganhar de vez todos os títulos e recordes.

A próxima final de grand slam não perco de jeito nenhum, fiquei bem frustrada por ter perdido essa. Qual é o próximo, Roland Garros? Sou ignorantona - saiba que você é a minha referência tenística blogueira. :) Beijos, nos vemos no FB!

Bruno disse...

É, a próxima é Roland Garros. Lá o favoritismo é todo de Nadal, mas se um milagre acontecer e Federer granhar,além de igualar o recorde de Sampras, ele terá vencido os 4 torneios de grand slam, algo bastante raro.

Bj